Participe  do HANGOUT AO VIVO TODAS AS NOITES -19 -24h com Dr Pedroza e outros SIMCEROS.

http://www.simceros.com.br/noticia/181-Hangout_SIMCEROS_ao_Vivo.html

os programas ficam gravados no http://www.youtube.com/user/thesimceros   www.youtube.com/jrpedroza1   

 

SINCEROS = Sem Cera = Sem Máscara

NOSSO ALVO É JESUS CRISTO. PECADO = Errar o Alvo.

USE ESTE ESPAÇO DEMOCRATICAMENTE, COM SABEDORIA, CORAGEM E AMOR.

 

ESTÁ ESCRITO:  I Coríntios 11 : 19

 E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós.

A graça de Deus nos basta.   Dr José Renato Pedroza      www.simceros.com.br    www.simceros.net

Hebreus 7; 12 – “Pois quando há mudança de sacerdócio, necessariamente também há mudança de lei”.

O sacerdócio no qual foi ordenado segundo a lei de Moisés para receber os
dízimos é o sacerdócio levítico, dos filhos de Levi. Portanto a palavra
é bem clara quando diz que, mediante a mudança de sacerdócio (cristo se
tornou nosso mediador e sumo-sacerdote), automaticamente a lei anterior
é abolida! Confirmando o que está no capítulo 8 e versículo 13:
“Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado
velho, e se envelhece, perto está de acabar”. Desse modo, a prática do
dízimo pelo seguidor de Jesus é mais que uma heresia, é uma profanação
do sangue da aliança superior feita por ele.
Mais uma vez as escrituras sagradas não nos deixam dúvidas de que a antiga lei
(dízimos) ordenada ao antigo sacerdócio (levítico) foi posta em
obsolescência, em desuso, tornada inválida mediante á aliança superior
advinda do novo sacerdócio de Cristo.

Os pastores não são sacerdotes! Nem da tribo de Levi nem de tribo nenhuma, simplesmente
porque não são judeus! Mas gentios (brasileiros, colombianos,
argentinos...)
De modo que se utilizarmos a lei ordenada ao sacerdócio antigo, negamos categoricamente o novo sacerdócio de Jesus,
o seu sacrifício, a sua aliança, pois assim está escrito: Gálatas 5; 4
– “Estais separados de Cristo, Vós que se justificam na lei. Da graça caístes”.

No versículo anterior Paulo relata que todo aquele que se deixa
circuncidar, está obrigado á observar a lei: (Gálatas 5:3) – “E de novo
protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a
guardar toda a lei”. Se você se submete á doutrina do dízimo (elemento
do sacerdócio antigo e abolido), está portanto obrigado á observar toda
a lei! E portanto está separado de Cristo, da graça você caiu.
Os que tomam o dízimo do povo, tornam á obedecer á ordenança dada ao
antigo sacerdócio que por cristo foi abolido, desse modo profanam a
aliança feita por ele: (Hebreus 10:29) – “De quanto maior castigo
cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?...
Terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo!”. Se pedirmos orientação
ao Espírito Santo e examinarmos ás escrituras, veremos que sobre juízo
terrível estão os mentirosos e enganadores que profanam a nova aliança
vivendo e ensinando os outros á viverem segundo a outra, e não os
supostos ladrões que roubam o dízimo e as ofertas descritas no livro de
Malaquias.

Ladrão é quem não dá o dízimo, ou quem os recebe?

Mais um cumprimento da palavra
Esta forma de profanação já estava profetizada! Vejamos o que nos alerta o apóstolo Pedro (2 Pedro 2; 1-3): “Assim como surgiram falsos profetas no meio do povo, também haverá entre vós falsos mestres que introduzirão secretamente, idéias destruidoras, chegando á renegar o soberano Senhor que os resgatou (Jesus). E muitos seguirão as suas doutrinas, e por causa deles será difamado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita".

- “introduzirão secretamente...”: Os falsos mestres introduziram, já há
muito tempo idéias destruidoras na mente da Igreja de Jesus, entre elas
á do dízimo. Precisamos estudar a história e verificar aonde ocorreram
estes desvios. Eles estão localizados na institucionalização da Igreja
(século IV; imperador Constantino e Flávio Teodósio em 391) e na
reforma protestante; ambos movimentos pagãos.
- “chegando á renegar o soberano Senhor que os resgatou”: Há muitas maneiras de se negar á
Jesus. A cultura religiosa nos ensinou que somente se nega á ele como
Pedro fez, ou se colocarem uma arma na nossa cabeça e nos abrigarem á
renunciarem a nossa fé; errado! Negamos á Jesus quando pregamos outro
evangelho diferente daquele que ele mesmo ensinou e também aos
apóstolos. Negamos á ele quando colocamos ao lado de nome tudo o que
lhe é contrário, quando ressuscitamos o antigo pacto, valorizando o que
ele aboliu e menosprezando o que ele instituiu.
- “e por causa deles será difamado o caminho da verdade”: De fato; o caminho da verdade foi
blasfemado! Por causa do joio dentro do trigo, por causa dos lobos em
pele de cordeiro.
- “E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas”: essa frase diz que os falsos profetas iriam transformar tudo em
mercadoria, e fazer do povo uma mercadoria, brincando de Deus,
controlando as pessoas como gado. Como Deus já havia condenado no
passado: (Miquéias 3; 1-5) – “Escutai ó líderes de Jacó, e magistrados da casa de Israel ... Eles comem a carne de meu povo, e arrancam a sua pele, quebram seus ossos para a panela, e carne para o caldeirão...
O senhor diz assim sobre os profetas que fazem errar o meu povo;
aqueles que têm algo para mastigar com os dentes clamam: paz! E os que
nada põe em sua boca declaram guerra contra eles
”. Bem... O sistema religioso é o mesmo ontem, hoje e sempre será; o que lemos acima fala por si mesmo.

Exibições: 2944

Comentar

Você precisa ser um membro de SIMCEROS para adicionar comentários!

Entrar em SIMCEROS

Comentário de Fábio Henrique em 30 outubro 2010 às 21:30
Irmão Ferdnand, eu é que agradeço por participar buscando contribuir no pouco que posso com o grande trabalho que os sinceros estão fazendo. Não tenho muito o que falar, tenho muito o que aprender, apenas tenho repassado de graça, o que de graça recebi e com certeza continuarei divulgando o que os amados e amadas têm nos dito.

O texto não é de minha autoria, mas da obra do irmão Venefredo Barbosa Vilar: “Dízimo – O engano cavalgando a verdade.”

Também fui um que, apesar de ler a bíblia e ter escutado tanto falar na doutrina dizimista, demorou para perceber o engano, pois na denominação, nas rádios evangélicas que escutava e programas evangélicos ninguém me dizia nada (Claro que nem mesmo aconselhavam a buscar a verdade). Mas quem não tem medo e procura, acha; o irmão irá logo, logo encontrar a resposta. Rsrsrs.

A idéia de que antigamente não havia dinheiro é mais uma tentativa de defesa dos que insistem com a doutrina dizimista, mas que cai por terra facilmente com o VENDER do dízimo para longas viagens como diz o próprio texto bíblico. Fica na paz!
Comentário de pr.Anderson em 29 outubro 2010 às 15:11
Noé teve 3 filhos,Cam,Jafé e Sem. Sem gerou arfaxade,gerou Salá,gerou Héber de onde vem o nome Hebreus,Héber gerou Pelegue,gerou Reú,gerou Serugue,gerou Naor,gerou Tera que gerou a Abrãao,Gênesis 11:10 a 26- I Crônicas 1:24 a 27. Abrãao habitava entre povos pagãos,que eram politeistas,adoravam um panteão de deuses,marduk ou Marduque é chamado de merodaque pelos Hebreus. Isaías 39:1;dentre outros deuses:O sol,a lua,rios,ar e outros elementos da natureza. Naquele tempo já havia sacerdotes de deuses pagãos só a eles era permitida a entrada no ( "Templo" chamado ZIGURATE,construído pelos assírios,babilônios e sumérios,povos da Antiga Mesopotâmia) e dos secerdotes era a total responsabilidade de cuidar da adoração aos deuses e fazer com que atendessem as necessidades do povo. Os sacerdotes pagãos do Templo estavam livres dos trabalhos nos campos,dirigiriam os trabalhos de construção de canais de irrigação,reservatórios e diques. Os deuses dos pagãos através dos sacerdotes "emprestavam" aos camponeses:animais, sementes, arados e arrendava os campos. Para agradecer o “empréstimo”,os camponeses davam aquele deus uma “oferta” de agradecimento. Assim como Caim e Abel,ofertaram ao Deus Verdadeiro.Gênesis 4:1 a 5. Voltando a Abrãao;que vivia,na terra de Ur dos caldeus Gênesis 11:28,este só adorava a um Deus;O Deus Altíssimo. E Deus falou a Abrãao:sai da tua terra e dentre os seus parentes,para a terra que te mostrarei,para fazer de ti,uma grande naçãó,Gênesis 12:1,2. Ele leva consigo seu sobrinho Ló,cujo pai já era morto. Mas a frente Ló e Abrãao se separam, Ló mora próximo a Sodoma;quando a cidade é invadida por 5 reis Assírios e seus exércitos,e Ló é capturado. Abrãao,o hebreu,que habitava junto dos carvalhos de Manre,em Hebrom Gênesis 13:18. Ouvindo, que seu sobrinho Ló estava cativo,levou 318 homens nascidos em sua casa,e perseguiu os reis até a cidade de Dã e os derrota. Abrãao ao retornar da batalha,vem ao seu encontro,um Rei chamado Melquisedeque,rei de Salém,que agora é Jerusalém,Jesus também fala deste encontro com Abrãao em João 8:56. Abraão,vosso pai,exultou por ver o meu dia "viu-o(melquisedeque),e alegrou-se". Melquisedeque,sacerdote do Deus Altíssimo,sem pai,sem mãe,sem genealogia,não tendo princípio de dias nem fim de vida. Hebreus 7:3. Trouxe a Abraao pão e vinho e Abrãao deu a Melquisedeque a décima parte dos despojos que tomara dos inimigos,como de costume da época. Escrito em Hebreus 7:1,4 Porque este Melquisedeque,rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo,que saiu ao encontro de Abraão quando este regressava da matança dos reis,e o abençoou. 4-Considerai,pois, quão grande era este,a quem até o patriarca Abraão deu o dízimo dentre os melhores despojos. Abrãao também tinha direito a tudo o que resgatou do rei de Sodoma .Porém Abrãao devolveu tudo ao rei,exceto os homens Escol,Aner e Manre. Gênesis 14:21 a 24. Segundo o Código de Hamurabi,da época,que eram 281 leis talhadas em uma rocha,de 2,50 de altura e 1,60 de circunferência,encontrada na região da antiga Mesopotâmia,em dezembro de 1901 e está no museu de louvre em Paris. Hamurabi era rei do império babilônico,contemporânio de Abrãao.Isto ocorre por volta do ano 1700 a.C. O código é baseado na lei de talião, “olho por olho, dente por dente".a mesma escrita em Êxodo 21:24 olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé. Os israelitas também não podiam ficar com os bens adquiridos das guerras (os despojos,chamados de anátema-amaldiçoados) como está escrito em Josué 6:18,19. Tão-somente guardai-vos do anátema (despojos),para que não vos metais em anátema(malditos) tomando dele, e assim façais maldito o arraial de Israel,e o turveis.Contudo,toda a prata,e o ouro,e os vasos de bronze e de ferro,são consagrados ao Senhor;irão para o tesouro do Senhor. Josué 7:1,15,20,21 diz: Mas os filhos de Israel cometeram uma transgressão no tocante ao anátema(despojos),pois Acã,filho de Carmi,tomou do anátema(despojos);e a ira do Senhor se acendeu contra os filhos de Israel.E aquele que for pego com o anátema(despojos),será queimado no fogo,ele e tudo quanto tiver,porquanto transgrediu o pacto do Senhor,e fez uma loucura em Israel.Respondeu Acã a Josué:Verdadeiramente pequei contra o Senhor Deus de Israel,e eis o que fiz,quando vi entre os despojos(anátema) uma boa capa babilônica,e duzentos siclos de prata,e uma cunha de ouro do peso de cinqüenta siclos,cobicei-os e tomei-os;eis que estão escondidos na terra,no meio da minha tenda,e a prata debaixo da capa. Davi também da está ordem:dos despojos das guerras as consagraram,para repararem a Casa do SENHOR. I Crônicas 26:27.
Comentário de Ferdnand em 29 outubro 2010 às 10:10
Ao irmão Fábio Henrique.
Ah, agradeço por ter entrado no meu blog e comentado. Vlw mesmo.

Vejo que Deus te inspirou realmente, pois esta questão é apenas mais uma das quais os religiosos fogem de responder, ou até mesmo de conhecer.

E um detalhe: o texto que você se referiu ainda manda o dizimista VENDER o seu dízimo e fazer uma festa com a família! O texto é Deutoronômio 14; 22 em diante. Deus aconselha aqueles que vão entregar o dízimo no templo, e que estão distante á ter certos comportamentos, veja:

"E se o caminho te for tão longo que não possas levar os dízimos, por estar distante do lugar que o Senhor te preparou para entregar-lhe, então tu os pode vender, e ata o dinheiro em sua mão e vai ao lugar que o Senhor Deus escolher. E dá aqueles dinheiro á tudo o que desejares, por bois, por ovelhas, por bebida forte, por bebi da fermentada, e por tudo o que tua alma desejar; come ali diante do Senhor teu Deus, e alegra-te, tu e tua família".

Por que será que isso não é ensinado hoje?

Quanto á oração do dizimista, vou ficar te devendo esta, mas posso procurar... Srsrs
Comentário de Ferdnand em 29 outubro 2010 às 10:10
Ao irmão Leonardo conceição dos santos

Com certeza irmão, concordo inteiramente contigo e adiciono mais. Em cristo não há dízimo, há um todo! O que temos para ajudar á quem encontramos no caminho e que está desamparado. O problema é que as pessoas não entendem a liberdade que é a graça, a liberdade de não ter nenhum compromisso com instituições religiosas, mas ter total compromisso com a vida humana, com os que choram, com os que realmente precisam. O que Jesus veio fazer aqui no planeta terra não foi criar uma nova religião, com novos rituais, com um novo templo e um novo sacerdote humano, NÃO! Ele literalmente destruiu tudo isso com os seus ensinos! Rasgou o véu da religião, de compromissos com tarefas ou atividades físicas que carregam o nome de Deus...


(Mateus 9:13) – “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício”.

Olha a profundidade do que disse Jesus, ele não quer sacrifícios, ou seja; atos religiosos, rituais, mas ele quer misericórdia, ou seja; vida prática, a Práxis, atitudes, atos de bondade. Essa é a única diferença irmão.


(Hebreus 10:8) – “Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei)”.

Leu bem? "Os quais se oferecem segundo a lei", a graça não é isso! Amemos o quão intenso for possível a raça humana, como ele amou, mudemos nosso coração á enxergar os pobres e iludidos dessa vida, ao ponto de ficarmos constrangidos na época de Natal em "ter que comprar uma roupa de marca" e ter que dar presentes caros ou comprar isso e aquilo... Mas depois nossa consciência é "purificada" quando vamos á igreja e cumprimos o ato religioso de dar o dízimo (sacrifício e holocausto), o que Jesus com todas as palavras disse que não quer.

Até quando vamos dar o que Jesus não quer receber e omitir aquilo que ele quer receber? Essa é a pergunta central de tudo.

Fica na paz.
Comentário de Ferdnand em 29 outubro 2010 às 10:10
Ao irmão frank emerson lira da rocha

Com certeza meu querido, o dízimo sempre houve, até mesmo antes da lei de Moisés, mas existe um pequeno detalhe que você não destaca disso tudo: quem mandou Abraão dar dízimo? Já lestes Gênese 28? Ninguém o mandou! Nem Deus, nem o diabo nem ninguém! Ele Deus 10% de dos despojos da Guerra
(Hebreus 7; 4) que ele havia vencido á Melquizedeque por vontade própria, não há nenhum mandamento de Deus sobre qualquer imposto que Abraão tivesse a obrigação de pagar.

NEM ANTES DA LEI O DÍZIMO É UM ENSINAMENTO, UMA ORDENANÇA: UMA DOUTRINA. SOMENTE NA LEI DE MOISÉS É QUE ELE SE TORNA ORDENANÇA! Certo?

Você comete uma grande heresia em chamar Melquizedeque de Jesus, vamos com calma! Não confunda as coisas! Em nenhum momento as escrituras afirmam que Melquizedeque era Jesus, somente diz que ele era um mistério! Não tinha genealogia, não tinha início de dias e tudo mais. Dai você afirmar que ele era o próprio Jesus personificado é uma TREMENDA HERESIA! E isso tudo só pra justificar o dízimo? Caramba, isso é IDOLATRIA! Cuidado irmãozão, falta pouco para você construir uma imagem de bezerro de ouro e cultuá-la, ou melhor; talvez não falte mais, pois O PRÓPRIO DÍZIMO É O BEZERRO DE OURO DA IGREJA EVANGÉLICA APÓSTATA"

O DÍZIMO É UMA DAS OBRAS DA LEI SIM! LEIA POR FAVOR:

“ Eu te dei todas as ofertas das coisas sagradas, que os filhos de Israel oferecerem ao Senhor, á teus filhos e á tuas filhas que oferecerem contigo, como lei perpétua” - Números 18;19.
Como lei perpétua, sabe o que significa Perpétuo? A lei de entregar os dízimos aos sacerdotes levitas é eterna, Á ELES! Pastores são sacerdotes da tribo de Levi? Ou melhor, pastores são Judeus para serem da tribo de Levi?


"E eis que dentre os filhos de Levi receberam o sacerdócio, tem ordem segundo a lei, de receber os dízimos do povo” – Hebreus 7; 5

Nem preciso explicar não é mesmo? O se explica por si só.

Jesus não recebe dízimos por um único motivo, sabe qual? Você sabe qual é o dízimo bíblico? Dízimo BÌBLICO é um sistema de manutenção dos serviços sacerdotais e de assistência social da antiga aliança! Aonde Deus tratava com uma nação, uma pátria, um "país"! Onde os dízimos (ALIMENTOS: batata, feijão, cenoura, trigo...) eram dados aos sacerdotes, e estes distribuíam para os órfãos, viúvas, estrangeiros (tudo também com significados simbólicos; pois Israel havia sido estrangeiro no Egito e em babilônia) Em cristo isso deixa de existir, não há mais pátria, nação, A IGREJA NÃO É ISRAEL! Nós somos gentios, não temos esse sistema de assistência social da antiga aliança porque fomos alcançados pela NOVA aliança! Compreendeu irmão?

O que os pastores fazem um verdadeiro CRIME! Deturpam o significado original do dízimo e Impõe ele aos pobres e ignorantes irmãos que pensam que precisam viver essa ordenança se não Deus os irá castigar. MALDITOS PROFANADORES DO SANGUE DO CORDEIRO, pagarão com a própria id naquele grade dia!
Comentário de Fábio Henrique em 26 outubro 2010 às 22:57
Duas curiosidades sobre o dízimo

Ao fazer a tal releitura da Bíblia, deparei-me com duas coisas muito curiosas a respeito do dízimo, as quais chamaram a minha atenção, e que eu vou lhe contar agora. Foi assim. Um dia, enquanto descansava de uma caminhada matinal, à sombra de uma frondosa árvore no campo, e com base na releitura de um texto que acabara de fazer, ocorreu-me uma extravagante e absurda pergunta, que ali mesmo elaborei nestes termos:

Onde na Bíblia, o dizimista foi instruído a beber pinga,
na casa de Deus, comprada com o dinheiro do dízimo?

Confesso que fiquei meio atarantado com essa possibilidade!

Alguns dias depois disso, criei coragem e fiz essa pergunta a um pastor. Ele pulou desta altura... e me disse com veemência: Não existe tal coisa na Bíblia! Caramba! E agora, será que eu disse uma asneira? Eu já estava assustado com o meu atrevimento, e fiquei mais ainda com a reação desse pastor. Porém outro pastor, equilibrado, sensato, conhecendo-me de longo tempo, a quem também fiz essa pergunta, pediu-me um prazo para pesquisar e responder. Dentro de alguns dias, telefonou-me dando a resposta. Ele havia achado o mesmo texto em que eu baseara essa pergunta! Não muito tempo depois, por telefone, eu fiz a dita pergunta a outro pastor. Disse-me ele que não sabia, e me pediu para indicar o texto. Insisti com ele, que procurasse. Mas ele me disse não dispor de tempo. Então sugeri que ele pedisse a um dos seus filhos para procurar para ele, ao que me respondeu: Não! Não posso deixar os meus filhos verem uma coisa dessas! Ele também tinha ficado assustado com essa possibilidade. Cinco anos depois, com euforia e com um largo sorriso, ele me deu a resposta. Não demorou muito, no velório de um pastor, encontrei um pastor conhecido que se fazia acompanhar de outro pastor (este estava vivo!), e lhes fiz a importuna pergunta. Eles responderam que não sabiam. Naquele mesmo instante se aproximou um professor de seminário; então o pastor disse: Este aqui sabe. Fiz-lhe a pergunta, e ele sem precisar abrir a Bíblia e sem pestanejar, deu a resposta certa na hora! Diante de tudo isso, a pergunta já não me pareceu tão extravagante e tão absurda.

E você aí que estuda a Bíblia, ensina, discipula, prega ou escreve sobre o dízimo, saberia dizer em que livro e capítulo fica o texto, em que se baseia essa importuna pergunta sobre essa tão difundida e defendida doutrina?

A segunda curiosidade que encontrei foi a oração do dizimista. Essa foi demais para mim. Eu nunca tinha ouvido ou lido qualquer coisa sobre essa oração. Não me ensinaram nadica de nada sobre ela. Ensinaram-me que tinha de pagar o dízimo de tudo, inclusive do meu salário bruto, pois se não pagasse estaria roubando a Deus e que, além de me privar das bênçãos, cairia nas maldições de Malaquias. E a todo o tempo, a oração do dizimista estivera lá na minha Bíblia — e deve estar na sua também —, conforme foi ordenado ao dizimista fazer! Como não pude enxergar tal coisa, se já havia lido a Bíblia muitas vezes? E aí, meu caro e assustado leitor, eu fiquei confuso, porque eu descobri que não poderia em sã consciência fazer essa oração para cumprir a ordenança bíblica, visto que se a fizesse estaria dizendo inverdades. Só o judeu podia fazê-la... e eu não sou judeu! Aí, entendi porque nunca me ensinaram essa oração e nem me falaram sobre ela. E lá vai o texto:

Dirás perante o Senhor teu Deus (esta é a oração do dizimista):

Tirei o que é consagrado de minha casa, e dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão e à viúva, segundo todos os teus mandamentos que me tens ordenado: nada transgredi dos teus mandamentos, nem deles me esqueci. Dos dízimos não comi no meu luto, e deles nada tirei estando imundo, nem deles dei para a casa de algum morto: obedeci à voz do Senhor meu Deus; segundo a tudo o que me ordenaste, tenho feito. Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa o teu povo Israel, e a terra que nos deste, como juraste a nossos pais, terra que mana leite e mel.

Quer ler novamente essa oração bem devagar e com redobrada atenção, e ver se há possibilidade de um cristão pronunciá-la hoje, palavra por palavra, como foi determinado ao dizimista fazer, e sem faltar com a verdade?

Encontrei um católico na Internet, que entendeu que não era possível ao cristão fazer essa oração; então ele inventou uma. Ei-la:

Oração do Dizimista

Recebei Senhor, minha oferta!
Não é esmola, porque não sois mendigo.
Não é uma contribuição, porque não precisais.
Não é resto que me sobra que vos ofereço.
Essa importância representa, Senhor, meu reconhecimento, meu amor.
Pois se tenho, é porque me destes.
Amém.

A intenção desse católico dizimista pode ter sido boa, mas foi ingênua, pois não atendeu as instruções transmitidas por Moisés: São estes os estatutos e os juízos que cuidareis de cumprir na terra que vos deu o Senhor, Deus de vossos pais, para a possuirdes todos os dias que viverdes sobre a terra. Nem satisfez a exigência feita por Deus: Tudo o que eu te ordeno, observarás; nada lhe acrescentarás nem diminuirás [Deuteronômio 12].

Também não me parece apropriada nem condizente com a oração do dizimista, e muito menos ainda com o ensino evangélico, a oração de um bispo tupiniquim, que se diz dizimista fiel. Veja o seu testemunho: Imediatamente, como dizimista que sou, ergui o braço, em que uso a minha fita onde está escrito: “Ó, Deus! Não se esqueça que eu sou dizimista fiel”, e me pus a reivindicar os meus direitos. Orei: “Meu Deus, envia um anjo lá, agora, para resolver essa situação, pois, como dizimista, eu exijo uma solução. Amém”. (Grifei). [Folha Universal, n. 728, de 19 a 25 de março de 2006]. Esse bispo nem invocou o nome do Senhor Jesus, foi logo exigindo de Deus uma solução imediata para um problema, com base nos seus supostos méritos de dizimista fiel. Até parece um consumidor exigindo os seus direitos perante o fornecedor; ou alguém mandando o seu cão se deitar! Será que essa autoridade toda lhe adveio do fato de um bispo tê-lo consagrado bispo também? Achei essa oração muito insolente, estúpida e blasfema! Só porque alguém lhe deu o título de bispo, e ele carrega no pulso uma fitinha de dizimista fiel, deixou de ser servo do Senhor e passou a ser senhor do Senhor? Contenha-se, senhor bispo! Ou, como diria um político moderno: Recolha-se à sua insignificância!

Eu falei lá em cima que somente indicaria o livro e o capítulo. Mas nos dois casos citados acima, eu vou abrir uma exceção: não vou indicar nem o livro, nem o capítulo! Você que procure. Se você não achar, peça ao seu discipulador, pastor, bispo, apóstolo, paipóstolo ou patriarca (não sei se a ordem hierárquica é essa) para lhe mostrar os textos onde se encontram essas duas preciosas curiosidades.


tudosobredizimo.blogspot.com
Comentário de frank emerson lira da rocha em 26 outubro 2010 às 1:19
Caro irmão em Cristo Ferdnand:

É com muita tristeza no coração, que eu venho por meio desta lamentar a forma como o irmão
trata o assunto dízimo e oferta, com tanta insipiencia, digo, ignorância ou falto de conhecimento e informação.
Vendo a forma como trata o assunto, lamento informar, que o dízimo e a oferta o qual o irmão diz pertencer a lei, já existia muito antes mesmo da lei existir, e os primeiros homens a tomar a atitude de primeiro ofertar ao Senhor com a primazia do que colheram, foram Caim e Abel, texto se encontra em Gn 4:1ao4, deixando bem claro o texto inclusive, que Abel oferecera, a primazia ou primícias se assim melhor lhe esclarecer o texto, ao Senhor. E o primeiro homem na história de toda a escritura sagrada a dizimar, talvez o senhor não o conheça até mesmo por ser tão pouco conhecido, chama-se "ABRAÃO", o qual no texto de Gn 14:18 ao 20, onde o mesmo Abraão ainda se chamava Abrão, após voltar da guerra, no qual tinha ido resgatar o seu sobrinho Ló, teve um lindo encontro com um rei chamado "MELQUISEDEQUE", que em hebraico se chama "REI de JUSTIÇA" ou "MEU REI É JUSTO", o qual, este mesmo Melquisedeque, era rei de uma cidade chamada "Salém", este mesmo homem além de rei de Salém, ainda era Sacerdote do Altíssimo com o próprio texto revela.
Resumindo, o que o texto nos declara, é que Abraão entregou o "dízimo" antes da lei existir, ao próprio "JESUS CRISTO", ao menos que o irmão também seja tão herege, ao ponto de não admitir tal coisa, ou seja: que o rei chamado Melquisedeque, não seja o próprio Jesus Cristo.
E se você for verificar o texto, o efeito da atitude de Abraão de dizimar, foi receber a benção de Jesus Cristo na pessoa de Melquisedeque.
Logo amado e falto de conhecimento irmão, Abraão tomou essa atitude de fé, muito bem antes da lei existir, e o que Deus atravéz da lei fez, foi ratificar, afirmar ou fazer valer para sempre, a atitude de um homem.
Já o nossso Senhor Jesus amado, em Mt 23:23, advertiu aos fariseus, em relação as suas atitudes de dizimar de tudo o que eles arrecadavam, porém, negligenciavam a misericórdia, a justiça e a fé, tendo
eles sim, que cumprir o dízimo e oferta, sem menosprezar as outras. Ou seja, Jesus os motivou a continuar dizimando, ou o texto não quer dizer isso? Isso não é questão de Bíblia, mas sim de interpretação de texto, aula de português.
Vamos falar agora de Paulo, aos Hebreus? Sim, é claro que vamos. O escritor aos hebreus, no texto de Hb 7:4 ao 10, mas precisamente no versículo 8, informa que aqui, "são os homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica e vive. Logo amado, o que o texto está dizendo explícitamente, é que quem recebe o dízimo é Jesus amado, quer você queira ou não.
Quanto ao mais meu querido, Jesus fala que nós erramos não conhecendo as escrituras, nem o poder de Deus, mas o primeiro erro que o mestre deixa bem claro, é a falta de conhecimento da "Palavra".
Qualquer coisa meu querido e seus adeptos, eu estou pronto para uma resposta sua.
Fica na paz, e leia a Bíblia, aquilo que está escrito, e o que também está escrito.
Fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuui!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

© 2014   Criado por SIMCEROS.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo